Gestão

Plano de negócios para microcervejarias: como fazer

As microcervejarias têm forte um apelo de produção artesanal. Por isso, trabalham com cervejas direcionadas para a gastronomia e atraem um perfil de cliente mais diferenciado do que aqueles que consomem a versão tradicional da bebida.

Isso significa que, mesmo sendo uma empresa pequena ou familiar, o plano de negócio para microcervejaria é uma ferramenta extremamente importante. Afinal, esse documento que permitirá conhecer mais a fundo o mercado e os concorrentes e, assim, avaliar a demanda e a viabilidade do negócio.

Será que você não está pulando um passo que pode determinar o sucesso ou o fracasso do seu negócio?

A importância do plano de negócio para microcervejarias

Formatar um plano de negócios vai muito além de definir metas e objetivos para a empresa. Ele permite compreender as diversas vertentes e formas de atuação da sua microcervejaria e, a partir daí, criar uma abordagem mais atrativa para o cliente.

Encare o plano de negócios como um grande roteiro que vai guiar a sua empresa e permitir que ela ganhe vantagem competitiva. Além disso, o documento ajuda a elencar as ferramentas, espaço, pessoas e quaisquer outros recursos que serão necessários para que a microcervejaria saia do papel e, claro, cresça ao longo dos anos.

“Fazer um estudo prévio é fundamental para ter a clareza e dimensão dos recursos, tempo e investimentos que são necessários para o desenvolvimento do negócio. Ter uma boa proposta de valor e conseguir delimitar o segmento de clientes também é um balizador importante”, complementa Alessandra Andrade, coordenadora do Centro de Empreendedorismo da FAAP.

Como montar o seu plano de negócios

1. Sumário executivo

O plano de negócios começa com um resumo do que será apresentado no documento para que seja possível ter uma breve ideia do que será tratado em cada capítulo. Por isso, essa é uma seção que, apesar de vir primeiro, deverá ser feita por último.

No sumário executivo você também deve apresentar a sua microcervejaria. Aqui, constarão informações como descrição do negócio, diferenciais, missão, produtos e localização, investimento inicial, enquadramento tributário, entre outros.

2. Análise de mercado

Esse é o momento de sair a campo e pesquisar bastante o cenário atual das microcervejarias. Entenda a demanda por cervejas artesanais e detalhe o perfil dos clientes que consomem a bebida.

Não deixe também de voltar os olhares para os concorrentes, especialmente os maiores do mercado. Veja o que eles oferecem tanto em relação aos produtos como para estrutura física e investimentos em marketing.

Uma boa dica para esse momento do plano de negócio para microcervejaria é utilizar os dados apontados na análise de mercado para identificar brechas ou nichos do mercado que não são atendidos. Assim, você pode voltar o seu negócio para oferecer ainda mais diferenciais e, consequentemente, se sobressair!

3. Plano de marketing e operacional

Como a sua microcervejaria será instalada? Quais bebidas serão produzidas? Como será o rótulo? Os clientes vão poder degustar o produto no local? E a divulgação, onde será feita?

Essas são apenas algumas das perguntas que você deverá responder nos planos de marketing e de operações. Liste todos os detalhes que deverão ser tratados para que a microcervejaria funcione corretamente e escolha canais de divulgação que tenham afinidade com o seu público.

4. Plano financeiro

De nada vai adiantar você estruturar todo o seu plano de negócios se ele não for viável. Por isso, é preciso sonhar com os pés no chão.

Levante todos os custos para abrir, instalar e comercializar os produtos, sem deixar de lado as ações de divulgação ou investimentos para ampliar a produção ano após ano.

Divida o plano financeiro em custos fixos, investimento pré-operacionais, capital de giro e previsão de resultados. Dessa forma, você conseguirá entender o investimento inicial e o volume de faturamento necessário para manter a microcervejaria funcionando de forma saudável.

Use o Business Model Canvas

“Uma opção mais simples ao plano de negócios e muito usada hoje é a Modelagem de negócios a partir de uma ferramenta chama Business Model Canvas“, aconselha Alessandra.

Para usar o modelo Canvas é importante sistematizar vários aspectos da concepção de um negócio. De acordo com a especialista, o Canvas possui 9 blocos, sendo que 3 deles podem ser identificados como o coração do negócio:

1) Proposta de Valor: é o que você entrega de resultado para o seu cliente. No caso de uma microcervejaria, existem muitas propostas possíveis, como a possibilidade do cliente personalizar a receita e ter sua cerveja única e exclusiva; consumir um produto com menos conservantes e matérias-primas diferenciadas; ou ter uma melhor relação de qualidade vs. preço.

2) Segmento de clientes: as propostas de valor não são percebidas por todo o mercado de consumo igualmente. Qual o segmento de clientes, qual o perfil do consumidor que perceberia valor, por exemplo, de ter sua cerveja personalizada?

3) Fonte de receitas: é a forma que viabiliza o negócio. Seguindo o mesmo exemplo da cerveja personalizada, existe uma diferença entre perceber valor (definição de segmento de clientes) e estar disposto a pagar por isso.

“Em resumo, para poder desenvolver um negócio, é preciso de um diferencial que seja percebido como valor em determinado segmento de clientes que, mais do que apreciar, esteja disposto a pagar por isso. Enquanto essa tríade de valor-cliente-receita não existir, dificilmente um negócio consegue se viabilizar”, complementa Alessandra.

E você, já fez o plano de negócio da sua microcervejaria?

credenciamento-fispal-tecnologia-2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *