Fispal Tecnologia faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

design-thinking-indústria-fispal-tecnologia

Design thinking como ferramenta estratégica para a pequena indústria

Praticar as mesmas ações esperando resultados diferentes é um verdadeiro paradoxo, ainda mais quando falamos sobre inovação no mercado e encontrar diferenciais capazes de gerar boa vantagem competitiva no mundo dos negócios.

Nesse contexto, um termo vem abrindo alas e conquistando o seu espaço: o design thinking. E, ainda que tenha causado alarde por conta de seu conceito diferenciado, ele tem também sofrido por não ser detalhadamente bem compreendido e aplicado.

Por isso, reunimos, neste artigo, tudo o que você precisa saber sobre  design thinking e, principalmente, como idealizá-lo de maneira estratégica para o seu negócio. Confira!

O que é o design thinking?

Segundo o Dr. Charles Burnette, uma das autoridades em design thinking, esse breve conceito nada mais é do que “um processo de pensamento crítico e criativo que permite organizar informações e ideias, tomar decisões, aprimorar situações e adquirir conhecimento”.

Levando tal conceito para a aplicação no mercado, podemos dizer que se trata de “pensar como um designer” nos processos, desafios e soluções. Ou seja: aplicar ideais e princípios básicos do design à criação de estratégias em cada etapa de qualquer processo do seu negócio.

“O design thinking é um método de solução de problemas complexos, e que conta com uma abordagem sistêmica, mas sempre focada no ser humano”, explica Edgard Stuber, especialista e pesquisador dos processos criativos e da inovação e fundador da Stuber Capacidade em Inovação.

Para ele, todo esse processo deve passar pela compreensão das necessidades dos seus clientes, suas dores e desafios, para, somente então, serem aplicadas as possibilidades de solução.

Os princípios do design aplicados no mundo dos negócios

Essencialmente, o design thinking aplicado em qualquer tipo de projeto deve passar por 4 pilares estruturais:

  • Exploração;
  • Descoberta;
  • Ideação;
  • Prototipação.

O contexto implica, primeiramente, na observação do cenário à procura de valores atípicos. Ou seja: analisar, entrevistar e pesquisar para compreender toda a questão por trás de uma ideia.

Em seguida, o design thinking se traduz em identificar a viabilidade desses valores atípicos interpretados. E, dessa etapa, parte-se para a aplicação desse modelo que se equilibra na possibilidade financeira e sustentável.

“Não é um modelo fixo, pois podemos voltar para qualquer etapa a qualquer momento. Mas o primeiro passo pode ser considerado a exploração, em que se adquire o conhecimento a respeito do que seu cliente está passando. Em seguida, temos a descoberta, período de análise e síntese dos dados coletados na fase anterior, que nos leva à fase de Ideação: o momento de gerar ideias e alternativas para resolver o problema identificado. Por fim, temos a prototipação, na qual você tangibiliza a ideia e a apresenta para o cliente”, detalha Stuber, que já desenvolveu projetos em parceria com o hospital Albert Einstein, a 3M, a seguradora Porto Seguro, entre outras empresas.

Os benefícios de aplicar o design thinking na indústria de pequeno porte

O pensamento de designer integrado à realidade do seu negócio pode ser mais frutífero do que se imagina, afinal, trata-se de uma estratégia que passa a agregar mais soluções.

Isso significa compreender os desejos, expectativas e desafios dos seus clientes, consumidores e fornecedores, e propor algo que agregue a eles para não apenas ter um resultado prático, mas tornar o negócio mais desejável.

"O design thinking também é uma alternativa benéfica para todos os envolvidos. Para as empresas, porque ajuda a mudar a maneira como as pessoas abordam um problema, e para o profissional, que adquire novas perspectivas para lidar com a sua própria rotina”, analisa Stuber.

Dessa maneira, é possível tratar o seu negócio como um elemento mais humano da equação que todo cliente procura: uma solução para as suas dúvidas, anseios e desejos. Talvez, por isso, o design thinking esteja tão em voga – e sem pressa alguma de deixar de ser uma tendência de mercado.

E então, você pratica o design thinking nos seus negócios? Continue acompanhando nosso canal de conteúdo e até a próxima.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar