Fispal Tecnologia faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

raio-x-mercado-sucos-fispal-tecnologia

Raio-x do mercado de sucos

O consumo de refrigerantes ainda pode ser o carro-chefe da indústria de alimentos e bebidas, mas é fato inegável que os supermercados já estão reservando uma ala cativa para bebidas mais coloridas e naturais: os sucos.

Isso mesmo, aqueles em embalagens, concentrados e com uma série de nutrientes que estão abocanhando fatias cada vez maiores do mercado, gerando uma competitividade que se destaca, principalmente, pela inovação desses produtos.

Quer entender um pouco mais a respeito dos sucos e do seu papel na indústria de alimentos e bebidas? Acompanhe.

Ser saudável está em alta

Não é à toa que a Coca-Cola trabalhou exaustivamente na aquisição da Ades – que, antes, pertencia à Unilever: ser saudável é uma tendência que tem tudo para se manter pelos próximos anos.

Dessa maneira, quem apostava exclusivamente nos refrigerantes percebeu que a diversificação no portfólio era uma saída sadia economicamente, e que ainda rendia mais qualidade de vida aos seus consumidores.

Entretanto, o mercado ainda está em estágios iniciais de desenvolvimento. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerante e Bebidas não Alcoólicas (Abir), o consumo do brasileiro desse tipo de produto foi de 3,3 litros por habitante em um ano, em 2014.

Mas sabia que isso pode ser uma ótima oportunidade de penetração no mercado?

Afinal de contas, especialistas apontam que o Brasil está entre os cinco maiores produtores de alimentos saudáveis, e em 11º lugar quando o assunto é a produção de sucos e bebidas naturais.

Há um crescimento no setor de 10% ao ano. E, se a indústria de alimentos e bebidas já está nessa corrida, empresas menores podem apostar em produtos naturais para abocanhar uma nova fatia desse mercado.

Os desafios do setor

Vender produtos naturais, como um suco regional, por exemplo, é bastante trabalhoso.

Isso porque empresas como a carioca Green People, que trouxe inovação ao setor com um suco 100% natural, encontram resistência nas lojas e supermercados. Afinal de contas, como apostar em um produto cuja validade é de apenas 3 dias?

É esse o período de consumo de um produto fresco e sem conservantes. A saída tem sido encontrar espaço fora dos varejistas, erguendo um nicho específico em quiosques e lojas especializadas.

“Há oportunidades para a indústria, pois os sucos naturais são muito nutritivos, já que as frutas possuem fibras, micronutrientes (vitaminas e minerais) e substâncias antioxidantes” relata a nutricionista Giovanna Maia Graciano, que ainda ressalta existir ampla variedade de produtos, no mercado. São aqueles em caixinha, mas feitos pela própria fruta, garantindo mais praticidade ao consumidor.

Existem muitas oportunidades para que o suco natural invada os lares do brasileiro. Ainda mais levando em conta a pesquisa da Mintel, que destaca o consumo de suco natural, pelo menos uma vez no ano, de 86% dos entrevistados em 2015.

Já a parcela de consumidores acostumada a beber semanalmente sucos naturais chega a 69% do grupo analisado. Ou seja: com um bom alinhamento e uma estratégia de mercado direcionada, o suco regional, como o da Green People, tem muito a crescer ainda.

Dados do setor de sucos que animam ainda mais o consumidor

Vale lembrar que a mesma pesquisa da Mintel destacou que a indústria de alimentos e bebidas pode se beneficiar muito desse tipo de consumo de produto. Afinal de contas, os jovens entre 16 e 24 anos estão entre os maiores consumidores dos sucos naturais, o que revela o grande potencial nesse mercado.

Assim, enquanto o setor ainda se divide na comercialização de néctares, bebidas mistas, concentrados, sucos em pó, refrescos e sucos naturais, os produtores podem encontrar diferentes caminhos para adentrar no mercado.

Principalmente, pelo motivo que uma pesquisa do Instituto TNS revelou: 60% dos consumidores estão evitando produtos com muitos aditivos artificiais. Para eles, por exemplo, baixo teor de gordura é um fator relevante na decisão de compra, enquanto 51% se atentam ao teor de açúcar reduzido.

“Os sucos industrializados são bons desde que não tenha adição de açúcar e que sejam feitos apenas da fruta. A grande vantagem, neles, é a praticidade” completa Giovanna.

Para o mercado de sucos, portanto, há como encontrar o nicho ideal valendo-se de mais qualidade na produção para explorar o seu diferencial. Afinal de contas, como vimos, há demanda para abrigar sucos cada vez mais naturais e saudáveis na mesa do brasileiro.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar